Vivendo

Hoje em dia o maior símbolo do individualismo é sem dúvida o fone de ouvido. Por toda parte que se olhe você vê alguém usando os benditos fones de ouvido. No ônibus, no metrô, no trem, na rua enfim em toda parte a maioria das pessoas estão utilizando os benditos fones de ouvido.

O hábito do fone de ouvido não deixa margem para o relacionamento entre as pessoas. Você pode falar com elas e nada, não respondem, pois não ouviram você. Você gesticula, após duas ou três olhadelas, ela tira o fone e pergunta “É comigo?”.

A diversidade dos seres humanos é fantástica. Observando as pessoas, em uma simples caminhada pelas ruas do bairro, ou em uma pequena viagem de ônibus ou de metrô, podemos notar os mais diversos estereótipos e identificar seus grupos e “tribos”. Vemos uma jovem com o cabelo alaranjado, outra com cabelo azulado, outro com cabelo trabalhado com gel, outro com roupas espalhafatosas e atitudes e gestos semelhantes, outros sóbrios, porém todos têm em comum os benditos fones de ouvido.

Observando mais atentamente podemos abstrair que cada um carrega consigo uma carga pesada de amargura, solidão, tristeza, preocupações enfim cada ser humano luta com seus dramas interiores. Olham para todos os lados, mas fazem questão de não ver nada e ninguém ao seu redor. Não somente jovens, mas os adultos também passam pelo mesmo processo.

Em uma viagem rápida, de metrô, observamos o entra e sai frenético dos passageiros, imaginando quantas histórias de lutas e vitórias ali estão correndo de um lado para outro. Não dá tempo de olhar o céu, as nuvens, as flores, as outras pessoas e ficamos cada vez mais distantes e insensíveis às maravilhas ao nosso redor.

Em determinado momento vou filosofando: Quantas pessoas e quantas necessidades? Quantos problemas? Quantas aflições?

Nesse momento tiro um tempo para orar por eles e por mim que também sou humano e como todos tenho minhas aflições e frustrações. Porém, é nesse tempo que me vem à alma o refrigério, sou filho de Deus. Meu Deus é amoroso e rico em misericórdia para me consolar e livrar das aflições e medos do dia a dia. Ele me traz a memória o texto contido no Evangelho de João, no capítulo 16 verso 33: “Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.”

Todos nós temos a oportunidade de transformar desilusão em esperança, de fazer o que Deus nos criou para fazer, essa certeza me renova, trás ânimo e vigor para prosseguir. Mesmo que eles continuem com seus benditos fones de ouvido, ainda me atrevo a esboçar um “Bom dia!”, “Boa tarde!” ou simplesmente um pequeno sorriso, para quebrar a monotonia deles e a minha.

Assim eu vou desfrutando do amor do Pai. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”

Espere só um momento…

Ei! Eei! Pssiu! Você! É você mesmo.

Tire o fone de ouvido e ouça… Ouça o que Deus está falando…

“eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância”

————————

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s