Retendo a Palavra da vida

Paulo escreve:

“Retendo a palavra da vida, para que no dia de Cristo possa gloriar-me de não ter corrido nem trabalhado em vão.” (Filipenses 2:16).

Paulo estava descrevendo o dia em que ele estaria na presença de Cristo e os segredos da redenção seriam revelados.

As escrituras dizem que um dia nossos olhos se abrirão, e eis que veremos a glória de Deus sem sermos repreendidos por Ele. Nossos corações queimarão com fogo, enquanto Ele abre todos os mistérios do universo e nos mostra o seu poder. De repente, vemos a realidade de tudo o que tínhamos à nossa disposição durante as nossas dificuldades aqui na terra: o poder e os recursos do céu, os anjos da guarda, a presença permanente do Espírito Santo.

Enquanto contemplamos as maravilhas dessas coisas que o Senhor nos dirá: “Todo tempo os meus guerreiros estiveram acampados ao seu redor, um exército poderoso de mensageiros foram atribuídos a você. Você nunca esteve em perigo por causa de Satanás. Você nunca teve qualquer razão para temer o amanhã”.

Então Cristo vai mostrar-nos o Pai, e que momento maravilhoso será esse. Enquanto contemplamos a majestade do nosso Pai celestial, nos daremos conta plenamente do seu amor e cuidado por nós, e de repente a verdade virá até nós com força total: “Este foi, é e sempre será, nosso Pai, verdadeiramente, o Grande “Eu sou””.

Aqui está a razão porque Paulo “agarrou” a palavra de fidelidade de Deus. Naquele dia glorioso, ele não poderia permanecer na presença do Senhor e ficar pensando: “Como eu pude ser tão cego? Por que não confiar plenamente nos propósitos do meu Senhor? Todas as minhas preocupações e questões foram em vão”.

Paulo nos exorta: “Eu quero alegrar-me, naquele dia, quando meus olhos estiveram completamente abertos. Quero aproveitar cada revelação, sabendo que eu confiei em suas promessas, que não fiz meu trabalho cheio de dúvidas. Eu sei que retive a Palavra de vida em todas as formas de agir perante os meus sofrimentos, eu combati o bom combate, e provei a minha fidelidade ao meu Senhor”

Paulo, então, resume tudo com a palavra:

“Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim,” (Filipenses 3:13).

Em suma, ele concluiu que era impossível colocar o seu futuro nas mãos do Senhor, sem antes deixar o passado para trás.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s