Paz de Cristo

Jesus sabia que para seus discípulos era necessário um tipo de paz que iria ajudá-los através de toda e qualquer situação. Ele disse aos seus discípulos:

“Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou” (João 14:27).

Esta palavra deve ter surpreendido os seus discípulos. Aos olhos deles, esta foi uma promessa quase inacreditável: A paz de Cristo se tornaria a sua paz.

Esses doze homens foram surpreendidos com a Paz de Jesus, da qual tinham testemunhado durante os últimos três anos. O mestre deles nunca teve medo. Ele sempre foi calmo, nunca mudou sob quaisquer circunstâncias.

Sabemos que Cristo foi capaz de sentir nojo espiritual. Algumas vezes ele estava agitado e chorava. Mas ele teve sua vida na terra como um homem de paz. Ele tinha paz com o Pai, tinha paz diante da tentação, tinha paz em tempos de rejeição e ridicularização. Ele ainda teve paz durante as tempestades no mar, dormiu no convés do barco, enquanto os outros foram abalados com terror.

Os discípulos presenciaram Jesus ser levado a um monte alto por uma multidão enfurecida decidido a matá-lo. No entanto, ele andou calmamente para longe daquela cena, sem ser tocado e de forma pacífica. Tudo isso deve ter sido discutido entre os discípulos: “Como ele pode dormir durante a tempestade? E como poderia ele ser tão calmo quando a multidão estava tentando lançá-lo de um monte? As pessoas zombam dele, insultado, cuspindo nele, mas ele nunca luta. Nada tira sua paz”.

Agora Jesus estava prometendo a esses homens que mesma paz. Quando ouviram isto, os discípulos devem ter se entre olhado com espanto: “Então, vamos ter a mesma paz que ele tem? Isto é inacreditável”.

Jesus disse:

“não vo-la dou como o mundo a dá” (João 14:27).

Esta não é a paz de uma sociedade indiferente e deslocada. Nem a paz temporária dos ricos e famosos, que tenta comprar a paz de suas mentes com coisas materiais. Não, essa é a verdadeira paz de Cristo, uma paz que excede todo o entendimento humano.

Quando Cristo prometeu aos seus discípulos a sua paz, é como se ele estivesse dizendo a eles e então a nós hoje: “Eu sei que você não entende os tempos que enfrentarão. Você não entende a Cruz e o sofrimento que enfrentarei em breve. Mas eu quero levar os seus corações para um lugar de paz. Vocês não podem enfrentar o que vem sem a minha paz duradoura dentro de vocês. Devem ter a minha paz”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s