Amigo de pecadores

Em Lucas 7 lemos a história de um fariseu chamado Simão, que convida Jesus para jantar em sua casa. Eu não sei por que um fariseu convidou Jesus, além de outros lideres religiosos para jantar com ele. Uma razão compreensível, pode ser que Simão e seus amigos queriam determinar se Jesus era realmente um profeta. A passagem mostra claramente que Simão conhecia a reputação de Jesus como um profeta (Lucas 7:39).

“Quando isto viu o fariseu que o tinha convidado, falava consigo, dizendo: Se este fora profeta, bem saberia quem e qual é a mulher que lhe tocou, pois é uma pecadora”

A Bíblia não diz o que o grupo conversou em torno da mesa, mas podemos assumir que tinha a ver com a teologia. Os fariseus tinham se especializado nesse assunto e já haviam tentado derrubar Jesus com perguntas capciosas. Mas Cristo sabia o que estava no coração dos homens e rapidamente se tornou evidente. A próxima coisa que lemos é que uma mulher da rua, “que era um pecador” entrou em cena. A Palavra nos diz que ELE se virou para a mulher (Lucas 7:44). Aqui vemos Jesus, mostrando-nos onde nosso foco deve estar: não na falsa religião, ou falsos, mas nos pecadores.

Olhando para e seus convidados, Jesus voltou-se para a mulher e disse:

“Por isso te digo que os seus muitos pecados lhe são perdoados, porque muito amou; mas aquele a quem pouco é perdoado pouco ama. E disse-lhe a ela: Os teus pecados te são perdoados. E os que estavam à mesa começaram a dizer entre si: Quem é este, que até perdoa pecados? E disse à mulher: A tua fé te salvou; vai-te em paz” (Lucas 7: 47,50).

Vemos Jesus revelando o motivo que veio, para ser amigo e restaurar os caídos, aos que não tem amigos e aos derrotados pelo pecado. E hoje, ELE nos diz: “Este é o meu ministério“.

O apóstolo Paulo, diz que esse deve ser nosso foco. Nós não devemos julgar os que caíram, mas, ao contrário, buscar recuperar e tirar a sua reprovação. Na verdade, ele fez isso, o teste da verdadeira espiritualidade: “a disposição para restaurar os caídos”.

“Irmãos, se algum homem chegar a ser surpreendido nalguma ofensa, vós, que sois espirituais, encaminhai o tal com espírito de mansidão; olhando por ti mesmo, para que não sejas também tentado” (Gálatas 6:1).

Paulo então rapidamente acrescenta a seguinte declaração da vontade de Cristo:

“Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo.” (Gálatas 6:2).

Qual é a lei de Cristo? O amor:

“Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis.” (João 13:34).

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s